MAV oferece oficina de samba de roda

Mestre Raimundinho compartilha técnicas da expressão musical nesta terça-feira (24), às 19h

Já eternizou o artista Dorival Caymmi: quem não gosta de samba, bom sujeito não é. A expressão musical é um símbolo indiscutível de brasilidade. O samba de roda do recôncavo baiano, uma variação do gênero poética e festiva, foi registrado como Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2004 e, em 2005, proclamado Obra-Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela Unesco.

Em Jacareí, o Mestre Raimundinho domina a arte desta expressão musical e irá ministrar uma oficina para os interessados. Promovida pela Fundação Cultural de Jacarehy, a aula de samba de roda será nesta terça-feira (24), às 19h, no Museu de Antropologia do Vale do Paraíba (MAV).

De acordo com Patrícia Cruz, gerente do MAV, o samba de roda é um dos gêneros musicais mais importantes e significativos dentro da cultura brasileira. “Além de ser considerado Patrimônio Cultural do Brasil, o samba e suas derivações fazem parte da nossa história. Oferecer esse tipo de vivência valoriza a cultura popular brasileira e reforça as nossas identidades”, conclui a museóloga.

Não é necessária inscrição para a oficina e a entrada é gratuita e livre para todas as idades.

Samba de roda do recôncavo baiano- O Samba de Roda baiano é considerado pelos historiadores da música popular como uma das derivações do samba carioca. A origem da manifestação, no final do século XIX, remete à migração de negros baianos para o Rio de Janeiro, no qual reproduziam nos bairros em que se instalavam, o seu ambiente cultural de origem, onde o samba tinha um papel social de destaque.

(Diretoria de Jornalismo/PMJ – Foto: Luiz Cepinho/FCJ)

Compartilhe com todo mundo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp