Semana da Arqueologia acontece de forma híbrida entre os dias 25 a 29 de julho

A programação conta com palestras on-line e um encontro presencial, além de exposição com peças arqueológicas

Na semana em que se comemora o Dia do Arqueólogo (26), a Fundação Cultural de Jacarehy (FCJ), por meio da Diretoria de Patrimônio, promove a II Semana de Arqueologia.

O evento tem o intuito de criar um espaço de debate e reflexão, com palestras de forma on-line e presencial sobre pesquisas em torno do tema. Além de proporcionar para a população também, uma exposição com peças arqueológicas, que pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h30, no hall de entrada do Centro de Memória.

Selma Fernandes, Diretora de Patrimônio, reforça que a programação “busca apresentar a relevância da arqueologia para os estudos e enquanto ferramenta histórica e de pesquisa”. 

A primeira palestra será on-line, nesta próxima terça-feira (26), com o tema “Remanescentes humanos enquanto documento de pesquisa”, os ministrantes serão Maria Mercedes Okumura  e Valter Moacir Consiglio Alves. Já o segundo encontro, também de forma digital, será na quarta-feira (26), com a temática “Pesquisas arqueológicas no Vale do Paraíba: Dois estudos de caso – Santa Marina e Carcará”, com Marcel Lopes e Lúcia Juliani. Ambas acontecerão às 19h e serão transmitidas pelo canal oficial do Youtube da FCJ.

E, na sexta-feira (29), a programação será presencial, às 14h, no auditório do Museu de Antropologia do Vale do Paraíba. André Bazzanella e Cintia Bendazzoli trarão uma discussão sobre “Legislação e licenciamento ambiental”. O museu está localizado na Rua XV de Novembro, nº 143, região central da cidade.

Vale ressaltar que, para obtenção do certificado de participação, é necessário realizar a inscrição para as palestras de maneira on-line, nos links disponibilizados acima. Maiores informações nos canais oficiais de comunicação da FCJ. 

Núcleo de Arqueologia – O Núcleo de Arqueologia de Jacareí atua desde 1997 na região e é considerado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) uma instituição de guarda e pesquisa. Em 2019, foi incorporado ao Museu de Antropologia promovendo a musealização do acervo que conta atualmente com 400 mil fragmentos.

Legenda: Exposição arqueológica aberta para visitação no Centro de Memória/ Créditos: Francielle Arantes (FCJ).

Compartilhe com todo mundo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp