7ª Feira Regional do Bolinho Caipira de Jacareí

A Fundação Cultural de Jacarehy promove a 7ª Feira Regional do Bolinho Caipira com o apoio das entidades sociais do município. As barracas serão administradas pelas entidades sociais: JAM (Jacareí Ampara Menores), ASPAD (Associação de Pais e Amigos do Down), CEPAC (Associação Especial de Pais e Companheiros), APAJAC (Associação de Pais dos Autistas de Jacareí e outras Patologias), APA(Associação Protetora dos Animais) , Mosteiro Ain Karin, Associação Casa Mãe,  Associação Casa da Paz, Lar Frederico Ozanam, Comunidade Fanuel, Rotary Club Avarehy Jacareí, Cantinho da Providência, Amor e Caridade, Hospital São Francisco de Assis e Projeto Bicho Feliz . A venda dos bolinhos caipiras, doces juninos e bebidas serão revertidas para as entidades que foram inscritas e aprovadas no Edital de chamamento Nº008/2018 da 7ª Feira Regional do Bolinho Caipira.

O Bolinho Caipira é um patrimônio imaterial e histórico do município de acordo com a Lei nº 5497/2010. A Fundação Cultural de Jacarehy tem como objetivo salvaguardar o patrimônio imaterial de nossa cidade. Além do bolinho, teremos artesanato local, shows de música raiz e sertanejo universitário.

Ao todo, serão 15 entidades participantes, com 9 sabores de bolinho caipira incluindo o tradicional de Jacareí, de linguiça com farinha branca. A 7ª Feira Regional de Bolinho Caipira acontecerá nos dias 22,23,24,29,30 de junho e 01 de julho das 14h às 22h, na Avenida Engenheiro Davi Monteiro Lino, na altura do Parque da Cidade. O evento tem o apoio da CCR Nova Dutra.

Como muitas comidas, o bolinho caipira não pode ser dissociado da região em que nasceu. O Vale do Paraíba foi lugar de passagem durante muito tempo, ligando Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. E, por isso, há fortes indícios que ele tenha surgido como comida de fácil preparo entre os viajantes, fossem eles bandeirantes, tropeiros ou indígenas.Por isso, sua preparação era muito simples. Consistia em uma massa de farinha de milho ou biju, temperada, onde se punha como recheio lambari ou pequira. Com a chegada dos portugueses, estes adotaram também a carne de porco.Com o passar do tempo, disseminou-se por toda região, não sendo possível determinar ao certo onde exatamente começou. Várias cidades são mencionadas. De toda forma, a história da venda do bolinho caipira em Jacareí foi o primeiro trabalho que seguiu uma grande pesquisa documental. Começou a ser vendido em 1925 no mercado Municipal com dona Nicota Gehrke, cuja receita é seguida até hoje. Historiadora Ana Luíza do Patrocínio.

Receita da Dona Nicota
Bolinho Caipira de Jacareí
Ingredientes:
Massa:
1 Prato fundo de farinha de milho branca
1 Colher de sopa de polvilho doce
Salsinha, cebolinha e manjericão picadinhos
Água
 Recheio:
Carne de porco picadinha ou linguiça de porco desmanchada
 Modo de Fazer:
Misturar os ingredientes da massa numa tigela e adicionar água até dar ponto de enrolar. Após, enrolar cada bolinho, fazer um furo, colocar o recheio e enrolar novamente, para fechar. Fritar em óleo quente.
Assessoria de Comunicação/FCJ  Foto: Luís Cepinho

Compartilhe com todo mundo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp